Lançamento da loja

Couve-flor

R$99,99

O produto pode variar um pouco da representação da imagem.
  • Quantidade em estoque:Bom 100
A couve-flor é uma hortaliça do tipo inflorescência (conjunto de flores) que pertence à espécie Brassica oleracea (couves), assim como o repolho, os brócolos, o romanesco, etc., cuja textura delicada e tenra exige cuidado e atenção na sua preparação. Pertence ao grupo Botrytis. História Originária da Região do Mediterrâneo, foi levada para a Europa no começo do século XVI. Hoje o seu cultivo é fácil pois adapta-se bem a qualquer tipo de solo, com pequenas correções. A couve-flor é originada da Costa Norte Mediterrânica, Ásia Menor e Costa Ocidental Europeia e teve expansão para a Europa no século XVI. É uma planta originária de clima frio, cujas cultivares ou híbridos necessitam de baixas temperaturas para a passagem da fase vegetativa para a reprodutiva. No Brasil, a introdução dessa hortaliça se deu principalmente com a vinda dos primeiros imigrantes italianos, sendo mais cultivada nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina. Essa cultura tem também grande importância para os agricultores familiares, que normalmente cultivam pequenas áreas com essa espécie ao longo do ano. É uma cultura lucrativa e bastante exigente em mão de obra, principalmente na fase de colheita. Os primeiros cultivares disponíveis somente se adaptavam às condições amenas e de inverno, de modo que geralmente as principais regiões produtoras situavam-se no centro-sul do País, em locais de clima mais ameno. Consumo Couve-flor roxa. Pode ser consumida crua, cozida (recomenda-se a vapor) ou de outras formas: frita, empanada, assada e gratinada (Pamplona, p. 109). Trabalhadores numa plantação de couve-flor. Uso medicinal A couve-flor é pobre em gorduras, carboidratos, sódio e proteínas. Os nutrientes que se destacam são: provitamina A, vitaminas B, C (a que se destaca) e E. É muito rica em potássio, cálcio, magnésio, fósforo, ferro e oligoelementos (cromo, zinco, manganês, cobre e selênio). Essa variedade de nutrientes beneficia na prevenção e no tratamento de muitas enfermidades como: afecções digestivas, cardiovasculares, renais, etc. (Pamplona, p. 108-109) Afecções digestivas A couve-flor possui vitaminas, minerais e oligoelementos que beneficiam as funções digestivas. É muito recomendável na dieta de doentes que sofrem de gastrite, úlcera, dispepsia, etc. A couve normaliza o trânsito intestinal, beneficia quem sofre de prisão de ventre tanto quanto de diarreia; é indicada para prisão de ventre, colite e diverticulite. Recomenda-se seu consumo após infecção aguda como gastrite ou gastroenterite.